Existem oportunidades que de fato não podemos perder. Outras, porém, podem não ser tão vantajosas assim. O que você precisa olhar antes de decidir por uma mudança?

Estamos passando por momentos bastante delicados no mercado de trabalho – com o aumento no número de desempregados, mudanças significativas nas normas para a aposentadoria (por conta da Reforma da Previdência) e aumento também nos preços cotidianos, as pessoas têm tido mais dificuldade para manter as contas em dia.

Em momentos como esses, é natural que comecemos a olhar ao nosso redor em busca de possibilidades de fazer mais dinheiro e ter melhor qualidade de vida. Às vezes, oportunidades em outras cidades nos chamam a atenção.

É hora de se mudar, no entanto? Se você está desempregado, será que vale a pena arriscar uma mudança, geralmente cara? Se você está empregado, por sua vez… será que vale a pena deixar o certo pelo incerto e começar de novo em outro lugar, no meio de uma pandemia? Tudo depende.

Vamos falar um pouco mais sobre o assunto a seguir. Se você tem passado por esse dilema, fique por aqui!

Mudar de cidade por emprego: quando vale a pena?

Antes de decidir, você tem que pensar em alguns detalhes específicos. O primeiro deles, claro, é o cargo que você irá ocupar (e, por consequência, a remuneração que virá com ele).

Se você recebeu uma oferta de muitos dígitos a mais, é possível que a chance de negar a oportunidade nem passe pela sua cabeça. Nesse caso, uma vez que existe uma possibilidade concreta de estabilidade, pode valer a pena deixar a vida que você conhece para trás.

Se você for casado, no entanto, isso pode significar que o seu cônjuge terá que largar o emprego para ir com você ou permanecer um tempo a mais na cidade em que estão, até que possa se organizar.

Nesse caso, você deve pensar em algumas coisas:

  • O dinheiro que você virá a receber é o suficiente para manter vocês dois, até que o seu par consiga um emprego?
  • Caso não seja possível abandonar o emprego tão rápido, é viável para vocês manterem dois aluguéis, em cidades diferentes? Existem filhos? Qual é o impacto dessa “separação” na relação de vocês?

Pense nessas questões antes de aceitar, e tenha sempre uma conversa franca e sincera com o seu marido ou esposa. Desta forma, vocês poderão decidir um caminho conjunto e ninguém sairá magoado, ferido ou sentindo que abriu mão da própria carreira pelo outro.

O que você deve observar antes de aceitar uma oportunidade de emprego

Quando o salário é duas, três vezes maior do que o salário que você costuma ganhar, isso já representa uma mudança significativa. Na prática, você terá mais poder de compra e mais facilidade para quitar as suas dívidas, além de poder guardar mais dinheiro para investir no seu futuro – e no futuro dos seus filhos.

É importante, porém, pensar em uma questão: quais serão os gastos que virão com a mudança? Por quanto tempo você terá que pagar determinadas coisas, e qual é o impacto do aluguel, do custo de vida local e da adaptação no salário que você virá a receber?

Quando saímos de uma cidade pequena para uma cidade grande, mesmo que o salário aumente, é possível que não tenhamos tanto assim para gastar. 

São Paulo, por exemplo, custa muito mais caro do que algumas cidades do interior de Minas Gerais. Assim, ao aceitar um emprego em SP, você deve saber que vai gastar mais para viver do que em Minas.

Calcule os gastos básicos de alimentação e vida, pesquise informações sobre aluguel e contas e, se possível, converse com moradores locais. Desta maneira, você conseguirá se preparar de forma adequada.

Outra coisa para levar em consideração é o perfil da empresa contratante. O salário é bom, você terá como se manter com boa qualidade de vida, o seu cônjuge gosta da ideia… Tudo certo, ok? Quase lá.

Confira quais são os pilares da companhia, verifique as mensagens deixadas por ex-funcionários da empresa na internet e sempre busque se informar sobre o ambiente organizacional e sobre os benefícios corporativos – que, exemplos de endomarketing que são, são capazes de tornar uma vaga ainda mais irresistível.

No mais, não tenha medo de mudar. Ficar parado no mesmo lugar é sempre pior do que se aventurar.