O setor industrial é dos principais consumidores energéticos em grande parte dos países, e por isso um dos grandes objetivos desse setor é a aposta na eficiência energética, de forma a conseguir um futuro mais sustentável.

Consumo energético

Um dos passos mais lógicos passa pela redução do consumo energético. Veja de que maneira:

  • Análise de dados do consumo e uso da maquinaria atual para uma otimização na sua gestão e na tomada de decisões.
  • Melhoria das instalações atuais do parque industrial.
  • Renovação dos equipamentos obsoletos e mais contaminantes por outros mais inteligentes e que emitam menos emissões de resíduos.

Para contribuir para a sustentabilidade da nossa indústria, também se deve ajustar o volume da produção, adaptá-los à procura real e reduzindo assim os resíduos. Por isso, é necessário aplicar técnicas de Data Analytics para analisar a informação disponível graças ao Big Data e aos processos conetados.

Novas formas de energia

Outro dos aspetos chave para conseguir a eficiência energética é a utilização de energias renováveis, mais limpas, pois o preço não é tão variável como o da eletricidade e nem de outras energias que variam em função do gás ou do petróleo.

De acordo com  as estimativas do Plano Nacional Integrado de Energia e Clima, o valor do setor industrial teria um crescimento substancial se fosse impulsionado pelo desenvolvimento das renováveis, redes e eletrificação do transporte e da renovação do parque de veículos.

Outras vantagens da eficiência energética

A implantação da indústria 4.0 está ocasionando uma redução de resíduos bem como a otimização dos processos de fabricação, passando pela redução das emissões de CO2 ou à melhoria da pegada de ozono dos produtos colocados no mercado.

Não devemos apenas nos centrar nos possíveis riscos dessa transformação tecnológica, mas também focar em novas oportunidades de negócio que farão ressurgir o nosso modelo industrial. As fábricas, graças à melhoria da sua eficiência energética e sustentabilidade, se irão converter em empresas mais fortes e competitivas dentro dos mercados que não terá lugar para quem fique atrás.

A internet das coisas, o Big Data, a inovação em equipamentos inteligentes e a gestão da informação são alguns dos processos para conseguir um menor impacto da indústria no ambiente.

Estamos diante de uma mudança necessária que envolve todos nós. O mais importante é entender que esse esforço não é em vão. Tornar nossa indústria um setor muito mais eficiente em termos de energia também está transformando-a em um elemento mais competitivo e diferenciador para a economia do nosso país.