Se você tem um consultório dentário e quer promover a sua marca, é essencial que conheça quais as melhores estratégias de marketing odontológico.

Além de trazer mais visibilidade ao seu negócio, vai atrair mais clientes e fidelizá-los.

É importante também oferecer a melhor experiência aos seus pacientes, pois a sua satisfação pode lhe render recomendações, o que é ótimo para a sua clínica.

Para te ajudar em tudo isso, selecionamos as técnicas mais eficazes para otimizar os resultados do seu consultório ou clínica!

Qual a importância do marketing odontológico?

Antes de compartilharmos quais as melhores estratégias de marketing odontológico, vale a pena saber qual a importância do marketing odontológico, mas especificamente o marketing digital.

Assim como qualquer empresa, e o setor odontológico não foge a regra, aproximadamente 97% dos consumidores procuram produtos e serviços na internet, principalmente no Google.

Entre esses 97%, cerca de 70% dos internautas pesquisam para encontrar um dentista, de preferência, no seu bairro ou cidade.

Além disso, ao acessar os sites, eles verificam as avaliações de outros pacientes, pois isso é um indicador de que aquele profissional é bom.

Apesar do marketing tradicional ainda ser usado, a tendência é mesmo usar estratégias digitais, como marketing digital médico por exemplo, que além de ser mais barato, tem um alcance muito maior!

Quais as melhores estratégias de marketing odontológico?

Seja para você que está abrindo agora seu consultório dentário ou já tem um, mas quer atrair mais pacientes, saber quais as melhores estratégias de marketing odontológico podem fazer toda a diferença:

1.Ter um perfil no Google Meu Negócio

A vantagem de ter um perfil no Google Meu Negócio é que chama a atenção de pessoas que buscam dentistas nas proximidades.

No entanto, é crucial otimizar esse perfil, de forma que sua clínica apareça nos primeiros resultados.

Para isso, você deve:

  • Passar as informações bem detalhadas, como os serviços que você oferece;
  • Horários de funcionamento;
  • Endereço;
  • Canais para entrar em contato;
  • Site;
  • Fotos do consultório.

2.SEO

SEO significa otimizar seu site para os mecanismos de pesquisa, de maneira que ele apareça nos primeiros resultados.

Vale lembrar que seu site funciona como uma apresentação da sua clínica, e é o primeiro que um paciente tem com você.

Logo, ele precisa carregar rápido e ser intuitivo, e em apenas alguns segundos, a mensagem é transmitida.

Para que seu site atraia mais clientes potenciais, ele deve:

  • Entregar conteúdo útil e informativo ao seu público;
  • Ser adaptado aos dispositivos móveis;
  • Inserir ferramentas para entrar em contato, como chat ou WhatsApp.

Agora, para passar mais credibilidade e aumentar as chances de aparecer na primeira página do Google, considere usar estratégias de link externos, que seriam links de sites de alta autoridade apontando para o seu.

Esse é um dos critérios que o Google leva em conta para classificar um site nos seus resultados.

3.Criar um blog

Inserir um blog no seu site também faz parte da lista de quais as melhores estratégias de marketing odontológico.

No blog, você vai responder as principais dúvidas dos internautas sobre a saúde bucal.

Por exemplo, os cuidados para evitar cáries, qual a melhor maneira de escovar os dentes, qual melhor creme dental…

Ao responder essas perguntas, você se aproxima do seu público, e isso gera mais tráfego para o seu site, por sua vez, mais chance de potenciais pacientes entrarem em contato e agendarem uma visita.

4.Marcar presença nas redes sociais

Assim como o blog, as redes sociais permitem criar uma relação mais próxima e gerar mais engajamento com seus pacientes e futuros pacientes.

O ideal é pesquisar para saber quais as mídias sociais que seus pacientes acessam com mais frequência, e poste regularmente nessas.

Não se esqueça de responder aos comentários, pois isso mostra a sua preocupação e passa uma imagem mais humana.

Mas antes de se lançar nas redes sociais, verifique quais as regras do Conselho Federal de Odontologia, pois não é tudo que você pode postar.

Considerações finais

Portanto, você acabou de conhecer quais as melhores estratégias de marketing odontológico, e é o melhor a ser feito para melhorar a visibilidade da sua clínica na internet e atrair potenciais pacientes!

O mundo do vaping é bastante vasto e existem diversas marcas e modelos de dispositivos para vaporizar com qualidade. 

Se você já tem certa experiência na vaporização, deve saber que cada dispositivo tem uma configuração específica e peças que podem ser substituídas e melhoradas para que o usuário tenha uma excelente experiência. 

Por isso, é até comum que surjam dúvidas na hora da compra, como qual aparelho escolher, qual juice é o mais saboroso e qual a melhor marca de vape do mercado.

É claro que cada usuário tem suas preferências e, por isso, não existe uma regra sobre qual vape é melhor ou pior, embora alguns sejam mais ou menos potentes e modernos. 

Entretanto, não se pode negar que uma das marcas de maior sucesso entre os vapers é a Smok, reconhecida como uma das empresas mais inovadoras do segmento. 

Os aparelhos do tipo Smok Vape são altamente tecnológicos e têm ótimo desempenho. Além disso, os cigarros eletrônicos da marca se diferenciam pelo acabamento refinado, o que os torna muito atrativos em termos estéticos.

Não importa se você é vaper iniciante, intermediário ou avançado, adquirir produtos da Smok é uma ótima ideia. 

Abaixo, vamos falar um pouco mais sobre alguns dispositivos oferecidos pela Smok para você se familiarizar com o catálogo e já ir pensando em qual é o melhor para seu momento de fazer vapor. 

Qual Smok Vape escolher?

A Smok se preocupa em oferecer opções para os mais variados gostos e bolsos. Assim, você encontrará uma infinidade de opções cujo preço, características estéticas e funcionalidades são muito diferentes. 

A marca conta com pods, mods e cigarros caneta dentre suas opções e, antes de falarmos sobre os produtos, é preciso diferenciar cada um desses aparelhos.

Vapes ou mods: também conhecidos como narguiles eletrônicos, esses dispositivos são bastante potentes e produzem uma grande quantidade de vapor, utilizados principalmente de forma recreativa, com juices com baixa ou nenhuma concentração de nicotina. 

Esses aparelhos podem ser customizados, com troca de baterias e resistências para deixar o vape mais potente e também permitem variar a temperatura da fumaça. 

Pods: outra categoria de cigarros eletrônicos são os pods, dispositivos mais simples. Para usar, basta ligar e tragar, bem semelhante ao uso de um cigarro tradicional, porém extremamente menos prejudicial à saúde. 

Nesses aparelhos é possível optar por juices com maior concentração de nicotina, o que os torna ideais para quem deseja parar de fumar. 

Existem pods recarregáveis e descartáveis. No último caso, o aparelho vem com uma quantidade determinada de puffs (tragadas) e de bateria. 

Cigarros caneta: também conhecidos como vapes cilíndricos ou pens, esses dispositivos são simples de usar, com design compacto e discreto. A maior vantagem é o valor acessível, que os torna a escolha de muitos usuários. 

São recomendados especialmente para quem está iniciando na vaporização e por usuários que visam a praticidade, uma vez que os aparelhos têm baixa necessidade de manutenção. 

Agora que você já sabe a diferença entre cada um deles, vamos falar sobre alguns dispositivos da Smok Vape que podem ser uma ótima escolha. Acompanhe! 

Kit Vape Pen 22 V2 

A Vape Pen 22 V2 representa o que há de mais moderno em cigarros caneta. O aparelho é composto por uma bateria de 1600 mAh, com 60w de potência e 15 amperes.

O dispositivo tem também um indicador de bateria inteligente com três luzes e, para verificar, basta clicar duas vezes no botão de disparo para as luzes se acenderem. 

Se as três luzes estiverem acesas, a bateria está entre 70% e 100% carregada. Duas indicam que há entre 30% e 70% restante e se apenas uma aparecer, o aparelho tem menos de 30% e logo precisará ser carregado. 

Essas características fazem com que o aparelho tenha excelente durabilidade e controle de carga, garantindo que você não ficará na mão quando quiser vaporizar e estiver fora de casa. 

A Vape Pen V2 também é compatível com 22 bobinas, está disponível em sete cores e custa cerca de R$159,90.

Kit Pod Mod NORD 2

Evolução do Pod NORD, esse pod é inspirado na primeira versão, mas com recursos mais elaborados. 

Entre as novas funcionalidades estão a bateria com capacidade de 1500mAh, tela OLED de 0,69″ e potência ajustável entre 1w e 40w, que permite uma tragada suave. 

Tudo isso está disponível em um aparelho de apenas 9,5 cm e 79g, o que permite fácil transporte e armazenamento. 

O Pod NORD 2 tem 9 versões diferentes, com cores e design impecáveis. O destaque vai para as opções 7-Color Oil, 7-Color Cobra e Black Stabilizing Wood, que têm padrões diferenciados e modernos. O valor do aparelho é em média R$249,90.

Kit MORPH 2 

E quem busca um aparelho mais potente e com mais funcionalidades vai se encantar com o vape MORPH 2, que é um lançamento recente da Smok. 

O grande diferencial desse aparelho é sua constituição em liga de zinco, o que o torna impermeável e bastante resistente. 

O kit MORPH 2 oferece amplo controle de temperatura e proteções que tornam a vaporização ainda mais segura contra falhas elétricas e queimas. O dispositivo é compatível com as coil mesh de 0,33 ohm e também com a coil mesh dupla de 0,15 ohm.

Tudo isso combinado permite a emissão de grandes nuvens de vapor que podem ser ajustadas por duas entradas de fluxo de ar com fenda dupla. 

Para completar a lista de características do kit, podemos citar o tanque TFV18, que tem capacidade para 7,5mL de juice; o display OLED de 0,96 polegadas e o fato dele estar disponível em sete cores diferentes para você escolher sua preferida. 

O Kit MORPH 2 custa em torno de R$419,90 e vem com juice de brinde. 

Vale a pena?

Com todas as vantagens e com a apresentação dos dispositivos acima, fica fácil perceber que adquirir um Smok Vape vale muito a pena!

Ao optar por esse produto, você tem a certeza de que está fazendo uma aquisição de qualidade e com certeza terá a melhor experiência na hora de fazer vapor. 

Consulte uma loja especializada e peça já o seu!

De repente, um aviso parece tirar seu chão: você será desligado da empresa na qual vem trabalhando nos últimos tempos. 

É praticamente impossível não ficar chateado e preocupado com o que acontecerá em seguida. Afinal, a perda do emprego implica na diminuição do poder econômico, que tem impacto em todas as outras áreas da vida. 

Atualmente, o Brasil tem mais de 12 milhões de desempregados e, se ver em meio a essa realidade não é fácil.

Para mudar esse cenário, é preciso ir em busca da recolocação profissional, processo que pode ser mais ou menos difícil, a depender da área de atuação, expertises e nível de preparação do candidato. 

Portanto, é preciso buscar formas de se capacitar constantemente, mesmo na situação de desemprego. Assim, você com certeza irá se destacar e conquistar a vaga desejada muito mais rapidamente do que seus concorrentes. 

Confira o passo a passo para uma boa recolocação profissional e veja dicas sobre como proceder em cada um deles.

Passo 1: planejamento e reflexão

Passado o primeiro momento de frustração e incertezas, é preciso esfriar a cabeça e começar a pensar em quais caminhos seguir para voltar ao mercado de trabalho. 

O primeiro passo é refletir sobre sua trajetória profissional e desejos para o futuro, pois esse será o norte de toda a caminhada. 

Busque conhecer seu perfil profissional com algumas perguntas simples: você prefere a parte operacional ou de gestão? Está contente com sua área de atuação ou prefere partir para algo novo? O que é indispensável para você em um ambiente de trabalho?

Desse modo, você poderá fazer escolhas mais assertivas na hora de buscar por uma vaga, focando no que realmente interessa e se dedicando a essas oportunidades, sem perder tempo e energia com outras que não são relevantes. 

Passo 2: preparação para a voltar à ativa

Definidos os objetivos no passo 1, é hora de se preparar para a recolocação em si, buscando formas de destacar de seus concorrentes. 

Para começar, faça uma boa revisão de seu currículo, atualizando dados como habilidades, competências, interesses, último cargo, entre outros que possam estar defasados com o tempo. 

Lembre-se que um bom currículo é claro e conciso e separe apenas as informações mais importantes sobre a sua vida profissional, aquelas que farão com que o recrutador reconheça todo seu potencial e queira te ter na equipe.

Também com base no planejamento, busque vagas que estejam de acordo com o que foi definido como prioridade e dê o seu melhor nos processos seletivos.

Prepare-se para entrevistas, saiba responder com firmeza perguntas sobre seus pontos fortes, objetivos profissionais, motivo do desligamento da empresa anterior, etc.

Se preocupe em mostrar o que tem feito para resolver pontos de melhoria, como falta de uma pós-graduação, segundo idioma ou outros déficits que poderiam te colocar em desvantagem em relação aos outros candidatos.

Lembre-se de ser sempre verdadeiro e transparente, pois mentiras e omissões podem acabar com todo seu esforço e ocasionar em eliminação definitiva do processo seletivo. 

Passo 3: priorize o networking

Sabe aquele gestor com quem você teve uma boa relação no passado e que agora está em outra empresa? Ou aquele colega de faculdade que atua na área em que você deseja estar? Hora de estabelecer contato e mostrar que está aberto a novas oportunidades!

O networking é uma ferramenta incrível para quem deseja recolocação rápida no mercado de trabalho, então cultivar boas relações no âmbito profissional é indispensável. 

A abordagem deve ser sutil e, preferencialmente, feita por email ou redes sociais com foco na vida profissional, como o LinkedIn, por exemplo.

Se apresente de forma cordial e fale rapidamente sobre seus objetivos. Envie seu currículo para apreciação e agradeça pela atenção disponibilizada, independentemente dos resultados. 

O LinkedIn também é um bom caminho para mostrar suas experiências profissionais, então mantenha-o atualizado, com posts que mostrem suas realizações e trabalhos desenvolvidos. 

Evite a soberba, mas não tenha medo de se vender, pois é essa habilidade que será responsável por colocar você em uma posição de destaque na hora da seleção. 

Passo 4: seja flexível

É claro que todos gostaríamos de voltar ao mercado de trabalho em um bom cargo, com um ótimo salário e em uma empresa reconhecida, mas nem sempre isso é possível imediatamente. 

Por isso, vale a pena ser flexível e considerar oportunidades temporárias e em outras posições que não sejam a desempenhada na empresa anterior, principalmente se o novo local de trabalho oferecer oportunidades de crescimento.

Isso não significa, de maneira alguma, abrir mão de seus objetivos estabelecidos no passo número 1, mas sim enxergar oportunidades de iniciar de algum lugar, que valem mais do que ficar parado esperando a vaga dos sonhos. 

Passo 5: invista em você!

Por último, mas não menos importante, é preciso falar sobre a importância de investir em você, em sua própria trajetória e desenvolvimento profissional. 

Aproveite o tempo livre para fazer novos cursos não apenas na área de atuação, mas em macro habilidades como inteligência emocional, organização, produtividade, metodologias de gestão, entre outros que façam sentido para sua carreira. 

Existem diversas palestras, serviços de consultoria, coaching e outplacement que, além de ajudarem nesse momento de desemprego, farão com que você desenvolva expertises que serão muito úteis no dia a dia profissional. 

Essas especializações também são responsáveis por aumentar sua rede de contatos, o que amplia a possibilidade de encontrar oportunidades interessantes. 

Com todas essas dicas, é hora de se colocar em movimento. Boa sorte na busca e sucesso na jornada!

No texto de hoje vamos dar dicas para melhorar o sinal wifi. Você se sente frustrado com a conexão wifi da sua internet? Quem não se sente não é mesmo? A boa notícia é que tem como melhorar isso.

E eu não estou falando somente de ter melhor repetidor wifi, embora isso também seja importante, não é a única maneira de melhorar o sinal wifi.

Aprenda nossos truques para aumentar o sinal enquanto experimenta uma conexão mais rápida e estável.

Hoje, é quase impossível encontrar uma casa ou local de trabalho que não forneça conectividade com a Internet via Wi-Fi.

Mas, muitos têm conexões ruins e caem com frequência. Isso pode ser devido a uma variedade de razões que podem fazer com que sua rede tenha um bom desempenho, mas depois fique mais lenta ou até mesmo caia.

Para resolver esse problema Hoje, vamos dar algumas dicas para melhorar o sinal wifi e aproveitar melhor sua Internet. Continue lendo e desfrute da melhor conexão.

sinal wifi
 

Dicas para melhorar o sinal wifi

Essas dicas para melhorar o sinal wifi podem ser úteis mesmo se você tiver banda larga de alta velocidade, como uma de alta velocidade , por exemplo, pois você deve estar ciente de que tudo está em ordem dentro de sua estrutura interna em sua casa.

Certas informações podem parecer simples, mas podem ser muito úteis, então confira:

Esteja ciente do paradeiro exato do seu roteador.

E uma das primeiras dicas para melhorar o sinal wifi não poderia ficar de fora. É fácil afirmar isso, no entanto, não coloque seu roteador no chão e deixe-o em um banquinho até que esteja um pouco mais alto ou, idealmente, em um celular. Outra ideia é escolher em qual área da sua casa o roteador será colocado.

Escolha os cômodos localizados no meio da casa para que fiquem situados em um ponto central e que o sinal seja recebido no mesmo nível em todos os locais.

Outra coisa a ter em mente é não colocar estantes de livros, aparelhos como televisão e telefones sem fio atrás para evitar interferências. Os dispositivos de radiofrequência, bem como outras coisas assim, também podem ser um problema, assim como os walkie-talkies.

Reinicie o roteador a qualquer momento.

No Brasil, alguns provedores de internet normalmente realizam manutenção sem aviso prévio e os dispositivos podem ser bloqueados.

Além disso, o uso contínuo do roteador pode causar superaquecimento do dispositivo, o que pode afetar sua conexão e diminuir a vida útil do dispositivo.

Com esse conhecimento em mente, é fundamental preparar “reboots” para que esses problemas sejam evitados. Essa reinicialização também é interessante, pois muitos dados são mantidos em seu roteador e podem levar a falhas e bugs de conexão.

Esteja ciente de interferência externa na conexão

Um tópico que não é amplamente discutido é a interferência dentro do sinal wifi. Nem sempre é a qualidade do roteador ou da conexão. Eles podem estar sofrendo interferência externa.

É por isso que é crucial manter qualquer objeto que possa interferir nos sinais de sinal – como espelhos ou telefones sem fio, longe do roteador. Dessa forma, você terá uma transmissão de qualidade maior e mais confiável.

Lembre-se: o problema nem sempre pode estar no seu roteador, mas sim no seu laptop ou computador ou laptop – e é por isso que você precisa de métodos específicos

E a próxima é uma daquelas Dicas para melhorar o sinal wifi que não poderia faltar aqui.

O uso de um repetidor no WiFi pode ser benéfico.

Se, mesmo depois de seguir as sugestões acima, você não observar nenhuma melhora e o sinal não melhorar, a resposta poderá ser diferente. Pode ser que o sinal esteja danificado porque sua casa é uma casa com muitos cômodos, paredes muito grossas ou com vários andares.

Quanto mais antiga a casa, maior a probabilidade de isso acontecer. Um repetidor wifi pode ser uma ótima opção.

O dispositivo, também conhecido como amplificador WiFi, pode aumentar e melhorar o sinal do seu dispositivo para que ele alcance áreas que estão mais longe do que sua casa. Os aparelhos que funcionam de forma semelhante podem ser encontrados nas marcas tp link, intelbras e outras.

Certifique-se de que seus dispositivos estejam

Certificar-se de que seus dispositivos estão atualizados pode garantir maior velocidade para sua internet.

Seu dispositivo roteador que fornece Wi-Fi continua mudando e, portanto, possui novos arquivos de atualização que podem melhorar a eficiência de sua operação. Portanto, é essencial verificar se o seu roteador está atualizado.

Verifique o padrão de rede usado.

Existem quatro padrões para transmissão de dados em redes sem fio, sendo o padrão N o mais rápido, com capacidade de transferir e receber dados de até 600 Mbps.

Para obter uma velocidade de conexão aprimorada, seu roteador deve suportar o padrão N. Da mesma forma, seu notebook, telefone ou computador deve ter um dispositivo de rede compatível com N. este tipo de ligação.

Dicas para melhorar o sinal wifi: Preste atenção aos seus vizinhos

Se você não tomar cuidado e deixar sua rede aberta, é normal que o sinal seja roubado por vizinhos e isso pode prejudicar seriamente sua conexão, bem como a velocidade da sua internet.

O primeiro procedimento é garantir que você não permita que sua conexão Wi-Fi seja aberta. Em outras palavras, faça uma senha difícil de lembrar, como por exemplo, 123456. Ou data de aniversário. Além disso, de vez em quando é essencial alterá-lo.

Outra coisa a lembrar é não usar um nome óbvio para sua rede. Por exemplo, “Rede de (seu nome)” ou “Número da casa (número da sua casa ou apartamento)”.

Sua rede será menos visível de seus vizinhos e de qualquer vizinho que queira “pegar carona” em sua conexão com a Internet.

Esteja ciente de sua senha

Certifique-se de alterar sua senha regularmente para garantir que ninguém possa encontrar sua senha. Além disso, não se esqueça de mantê-lo.

Evite usar senhas ridículas como aniversários, admin 123456 ou números de apartamento que podem convidar a intrusão. Combinando letras maiúsculas com símbolos como # e @, por exemplo.

Evite colocar seu nome no Wi-Fi. inclua quaisquer outras palavras que possam impedir a identificação de sua rede sem fio.

Atenção com Bluetooth

Não é uma coisa cotidiana, no entanto, o Bluetooth pode interferir nos sinais da Internet que chegam pela sua rede, principalmente no caso de um protocolo muito antigo. É por isso que não é caro desligar a conexão Bluetooth caso os sinais Wi-Fi sejam menos estáveis ​​ou estejam saltando.

Ultimas considerações sobre as dicas para melhorar o sinal wifi

Por sermos nossos queridos leitores e leitoras, esperamos que tenham se divertido com as informações e possam ajudar seu wi-fi de forma melhor e mais rápida. ok?

Sugestões de outros artigos podem ser postadas nos comentários. E não deixe de conferir os últimos artigos.

Sem dúvida nenhuma a sociedade moderna cria novas profissões a todo momento. Mas o mais impressionante é ver que mesmo depois de séculos, ou milênios, algumas profissões ainda são necessárias e ocupam uma posição importante na nossa sociedade.

Um exemplo bastante simples é a própria função de balconista. Que pode ser desempenhada nos mais diferentes tipos de estabelecimentos, assim como com diferentes propósitos.

Fazer um curso de balconista de farmácia pode ser hoje uma excelente opção para se inserir no mercado de trabalho. Principalmente levando em conta a necessidade constante de profissionais constantemente atualizados.

Hoje, estamos aqui exatamente para falar um pouco mais desta profissão. O que ela faz, quais são as suas responsabilidades, funções, salários, etc…

Sendo assim, aproveite este guia e deixe qualquer outra pergunta que tiver nos comentários, será um prazer explicar cada ponto depois.

Vamos conferir?

Balconista: quais as funções do profissional?

Antes de mais nada é importante dizer que este é um guia simples e prático do assunto, mas que pode ter algumas alterações dependendo da sua realidade e do contexto em que você está inserido.

Assim como é possível que algumas atualizações de tecnologia fazem com que a profissão mude um pouco. Por isso, é importante sempre procurar por uma atualização.

Dito isto, vamos ao nosso guia!

1 – O que faz um balconista?

O nome da profissão normalmente já denota a situação de que um balconista fica posicionado no balcão da loja. Ou seja, ele é quem fará a conexão entre o cliente e os produtos oferecidos.

Muitas vezes, esta conexão é feita junto com o pagamento, pois o balconista pode operar o caixa de maneira normal. Assim como será o responsável por fazer uma venda, normalmente recomendando uma combinação de produtos ou mesmo sugerindo marcas.

Ele é responsável também por tirar dúvidas sobre os produtos em si, muitas vezes localizando a melhor opção para o cliente, fazendo com que ele tenha o seu objetivo cumprido.

Isto é muito comum em farmácias, onde medicamentos que precisam de receita ficam em um local à parte para evitar problemas como furto.

Entretanto, o balconista pode ser requisitado para atender telefonemas, tirar dúvidas e anotar pedidos.

Assim como pode ser um repositor de estoques ou prateleiras. Fazendo com que estejam todos os itens em ordem e fáceis de serem encontrados.

2 – Quais as qualidades necessárias para um balconista?

Primeiramente um balconista precisa ter uma boa comunicação. Ele será responsável por explicar alguns fatores dos produtos, assim como será o responsável por listar as melhores opções.

Ele também precisa ser capaz de entender as demandas dos clientes, para assim fazer uma boa seleção do que realmente será proveitoso para o consumidor..

Mas a organização também é um traço importante, pois é fato de que ele precisa deixar a loja sempre com um bom aspecto, pelo menos no setor em que trabalha. Repondo sempre as prateleiras, assim possibilitando um aspecto limpo e saudável.

Responsabilidade é um traço essencial, pois muitos dos estabelecimentos podem ser enrolados por aproveitadores. Principalmente no caso de farmácias, que alguns medicamentos devem ser administrados somente com receita.

3 – Quanto ganha um balconista?

O salário de um balconista é algo que pode variar desde um salário mínimo mais benefícios, até mesmo em torno de R$2200,00 em seu teto.

Mas em geral, a média de pagamento para quem começa é em torno de R$1500. Podendo aumentar de acordo com a região, experiência em outros locais e tempo trabalhado no local atual.

Outro ponto importante a ser lembrado é que muitos estabelecimentos vão ganhar através de comissões. Então, sempre que uma venda for efetuada, você ganha uma pequena porcentagem da mesma.

E não raramente esta comissão chega a superar o valor do salário original da pessoa.

4 – Como se preparar para ser um balconista?

Primeiramente é possível dizer que não existe uma exigência mínima de preparação. Embora a maioria dos lugares exija um diploma de ensino médio, é possível que você comece a trabalhar se mostrar que tem um bom português e controle de matemática básica.

Mas aqueles que querem se colocar à frente podem fazer um curso livre de balconista. Assim como aprender algumas técnicas semelhantes para a loja ou estabelecimento em que deseja atender.

Entretanto, ainda existem outras opções interessantes:

Curso de organização de estoque

Como dito anteriormente, esta profissão pode exigir que a pessoa trabalhe ativamente no controle de estoque. E isto pode envolver até mesmo o levantamento de inventário e outras coisas semelhantes, mesmo que somente como apoio.

Ter um controle deste assunto irá realmente facilitar todo o seu desenvolvimento no trabalho. Além de mostrar para o contratante que você já tem uma certa base do que está sendo desenvolvido no local.

Curso de vendas

O balconista também atua como um vendedor, muitas vezes oferecendo itens adicionais ou mesmo convencendo a pessoa a comprar um determinado produto. E tudo isto é muito melhor alcançado quando a pessoa deseja atender às necessidades do cliente.

Portanto, um curso de vendas acaba facilitando muito na contratação, pois permite que o profissional cresça.

Curso de informática

Este acaba sendo um curso muito importante, pois vários balconistas irão necessitar de computadores no seu trabalho. Assim como será importante que eles tenham como operar diferentes sistemas.

Conclusão

Como você pode ver, esta é uma função realmente versátil e simples de se executar. Entretanto, é um mercado com alta demanda, assim como uma excelente opção para quem deseja encontrar uma profissão estável.

E claro, quem começa da maneira correta, se capacitando e aprendendo na prática, acaba saindo na frente e conquistando as melhores vagas. Principalmente para quem deseja um horário mais flexível que tenha a oportunidade de estudar nas horas vagas.

Então, comece o quanto antes um bom curso de balconista de farmácia, que pode ser realizado até mesmo de maneira online. Algo que fará com que você tenha um destaque e também auxiliará nas tarefas a serem realizadas de uma maneira geral.

Por hoje é isso, esperamos que estas dicas e informações tenham sido úteis. Qualquer outra dúvida sobre o tema é só entrar em contato através dos comentários.

Até a nossa próxima dica!

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Certificado Cursos Online, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre cursos, educação e diversos segmentos.

Quer descobrir os Profissionais de TI mais procurados, então achou o texto certo. Devido a pandemia, diversas pessoas notaram a quantidade de oportunidades para se trabalhar em home office. E, dentre os setores que mais se mostraram proeminentes, com certeza a área de TI tem um significativo destaque.

Afinal de contas, levando em consideração os avanços tecnológicos, cada vez mais as empresas têm procurado por esses profissionais. E, se você quer se inserir nesse mercado, é comum que queira saber quais são os profissionais mais procurados no ramo de TI.

E, de acordo com várias pesquisas, como a do Guia Salarial 2022, esses profissionais têm sido cada vez mais requisitados em diversos setores. Afinal de contas, eles são capazes de entregar ótimos resultados não só para a organização, como também para os clientes.

Mas, então, quais são os cargos de tecnologia que as empresas mais procuram? Para obter a resposta para essa pergunta, é só ficar de olho nos tópicos seguintes. Sem mais delongas, vamos ao que realmente importa!

Quais são os Profissionais de TI mais procurados pelas empresas?

Devido a pandemia, muitas empresas notaram que o trabalho em home office é possível e gera ótimos resultados. Por conta disso, a tendência é que cada vez mais profissionais possam migrar para esse tipo de trabalho.

Mas, dentro desse contexto, é interessante que você saiba quais cargos são requisitados, até mesmo para poder se qualificar, se for o caso. Afinal de contas, a área de TI é bastante ampla, comportando desde segurança como sistemas de TI, por exemplo.

Por isso, nos tópicos seguintes, iremos falar sobre os cargos que mais têm sido requisitados pelas empresas. Confira!

Desenvolvedor Front-End (sênior)

A experiência do usuário deve ser sempre levada em consideração, uma vez que isso molda de forma direta a maneira como ele irá enxergar a organização. Inclusive, esse “simples” fator é decisivo na hora de optar por realizar ou não uma compra ou tomar uma ação.

Por conta disso, o desenvolvedor front-end tem sido muito requisitado, já que ele é capaz de deixar tudo mais fluido, por exemplo. E, quanto maior o tempo de carreira do profissional, melhor ainda.

De forma resumida, esse profissional é o responsável por programar toda e estrutura visual de um site ou plataforma, seja os menus, botões ou demais elementos que façam com que o usuário possa interagir com a página.

Ele é quem cuida de todo o layout e design, e faz isso utilizando algumas linguagens de programação, como JavaScript e HTML, por exemplo.

Desenvolver Back-End (pleno e sênior) 

Nesse caso, são os profissionais que trabalham na parte “de trás” de um site. Ou seja, é o responsável pelos servidores, como a manutenção e armazenamento de dados, autenticação de configuração de rede e coisas do gênero.

Fora isso, o desenvolvedor back-end também precisa entender de algumas linguagens de programação. Então, algumas das maiores exigências das empresas estão no quanto você entende desse assunto.

Além disso, programadores backend com certificação ITIL geralmente são os mais convidados para trabalhar no exterior.

Desenvolvedor Full- Stack (pleno e sênior) 

O desenvolvedor full-stack é aquele que entende todos os aspectos que envolvem a construção de sites ou plataformas. Mas, nesse caso, envolve tanto a parte visual (front-end) quanto no que diz respeito a função dos servidores (back-end).

Sendo assim, como entende dos dois aspectos, ele é responsável por fazer que ambos funcionem juntos, de forma harmônica e perfeita. Fora isso, como é um profissional que deve lidar com grandes responsabilidades, a remuneração costuma ser maior.

Arquiteto de soluções

Um outro profissional que tem conquistado bastante destaque diz respeito ao arquiteto de soluções. Como o próprio nome sugere, é aquela pessoa que avalia todas as necessidades de uma empresa e procura criar integrações entre sistemas e informação, a fim de atendê-las.

Inclusive, as empresas precisam cada vez mais desse profissional. Afinal de contas, ele é capaz de antever possíveis falhas, oferecendo formas de resolver. Dessa forma, acaba por otimizar recursos e, algumas vezes, otimizar processos.

Tech Lead

O tech lead nada mais é que aquele profissional que lidera um time de desenvolvedores. Como você já pôde notar, o mercado de trabalho já está procurando bastante os programadores, mas é preciso alguém para dar o direcionamento correto.

Por isso, o tech lead é um profissional que as empresas procuram. Em suma, eles são os responsáveis por gerenciar os aspectos técnicos do fluxo de desenvolvimento de um software, por exemplo. Ou seja, são fundamentais para manter o sucesso em todos os projetos.

Veja também: post anterior desta coluna.

Os cigarros eletrônicos têm se popularizado no Brasil. Existem vários tipos para que o usuário possa escolher seu favorito entre pods recarregáveis ou descartáveis, vapes tradicionais, entre outros. 

Basicamente, os vapes funcionam a partir de uma bateria e um atomizador que, juntos, produzem calor e fazem com que o e-juice – líquido utilizado no dispositivo – se torne o vapor que será inalado. 

Existem e-líquidos variados no mercado e o vaper pode optar pelo que mais gosta, entre sabores mentolados, frutados, atabacados, adocicados, com alta, média, baixa concentração e até mesmo sem nicotina. 

O mais comum é que os pods sejam utilizados por quem está iniciando no mundo do vaping ou pretende trocar o hábito de fumar por uma alternativa mais saudável. 

Já os vapes, também conhecidos como mods, geralmente são escolhidos para uso recreativo, por serem mais intensos e produzirem mais fumaça, tal qual os narguiles.

Além disso, eles podem ser customizados pelo usuário, que pode variar sua capacidade para líquidos, potência, quantidade e temperatura da fumaça. Essa customização, entretanto, exige um pouco mais de experiência.

Entre as vantagens dos pods e dos vapes, está o fato de que ambos não têm o forte odor do cigarro, o que torna seu uso mais confortável tanto para o usuário, quanto para quem está ao redor.

Por ser um produto relativamente novo no Brasil, ainda existem algumas dúvidas quanto a sua utilização, principalmente quanto aos efeitos colaterais que podem surgir. 

Abaixo, vamos abordar alguns mitos e verdades sobre o uso dos vapes para você ter mais tranquilidade em sua escolha. Acompanhe!

Usar cigarros eletrônicos e tradicionais é a mesma coisa?

Mito! O uso de vapes e pods não tem nada a ver com o hábito de fumar cigarros tradicionais. 

A principal diferença é que os cigarros eletrônicos não contém em sua composição os elementos cancerígenos de um cigarro tradicional, como alcatrão, monóxido de carbono, entre outros.

Além do mais, com a queima do cigarro tradicional, os componentes tóxicos da tinta e do papel também são desprendidos e levados diretamente ao trato respiratório, o que pode causar diversos problemas de saúde. 

Por todos esses malefícios, o hábito de fumar cigarros tradicionais é responsável por mais de 7 milhões de mortes a cada ano, o que gera uma grande preocupação nas autoridades de saúde em todo o mundo.

No caso dos cigarros eletrônicos, a única coisa inalada é o vapor, o que já reduz consideravelmente os danos que podem ser causados. 

E ainda que o usuário opte pelo e-juice com nicotina, os vapores desse elemento são muito menos tóxicos e é possível optar por diferentes níveis de concentração, sendo possível até mesmo evitar o contato com esse tipo de composição. 

Além de todas essas vantagens, o cigarro eletrônico não gera fumantes passivos – aquelas pessoas que não fumam, mas são impactadas pelos malefícios da fumaça – o que torna seu uso muito mais seguro também para quem está ao redor do usuário.

Tem efeitos colaterais?

Não existem estudos que comprovem que o uso de cigarros eletrônicos tem a ver com o surgimento de efeitos colaterais, principalmente nas versões sem nicotina, que nem mesmo têm potencial viciante.

No entanto, para que o uso seja de fato seguro, o usuário deve ter cuidado com a qualidade do dispositivo e do líquido que será utilizado. 

Ao optar por versões mais baratas, existe o risco de adquirir algo de baixa qualidade e que pode emitir compostos químicos que podem fazer mal. Além disso, dispositivos duvidosos podem ter vapor desregulado e muito quente, o que também traz prejuízos. 

Como evitar problemas?

Como tudo na vida, o uso dos cigarros eletrônicos – sejam eles pods, vapes, entre outros – exige algumas precauções para que seu uso seja seguro. 

Em primeiro lugar, como já citamos, tomar cuidado com a qualidade do dispositivo e do juice utilizado é imprescindível. Opte sempre por adquirir e consumir aqueles de marcas conhecidas e confiáveis. 

Para ter certeza de que o vape atende às recomendações de especialistas e é original, sempre adquira o seu em lojas especializadas e que tenham profissionais preparados para orientar você a fazer uma boa compra.

Além disso, preste sempre bastante atenção à limpeza do vape e ao uso da bateria, que não deve ser molhada e nem recarregada com carregadores que não sejam próprios, que podem causar sobrecargas e explosões. 

Também  esteja sempre atento à sua saúde, realizando exames periódicos para garantir que está tudo bem.

Use com moderação e aproveite seu momento de fazer vapor sem preocupações, de forma muito menos prejudicial do que com um cigarro tradicional!

Por que comprar backlinks de qualidade para seu site?

Atualmente, é cada vez mais difícil obter uma boa posição no ranking dos motores de busca. Para superar essa situação, os SEOs utilizam diferentes técnicas e ferramentas à sua disposição. Backlinks são uma daquelas ferramentas essenciais nas estratégias de SEO.

Graças a isso, seu site terá um melhor posicionamento na lista de resultados de pesquisa. Para o seu projeto de netlinking, procure os serviços de uma plataforma de vendas de backlinks . Isso pode ser útil, especialmente se você precisar de suporte personalizado para as formalidades. Além disso, a operação merece atenção especial para evitar erros irreparáveis. Aqui está o que você precisa saber antes de embarcar nesta aventura.

Um pouco de visão sobre o mundo do SEO

À primeira vista, a referência natural ou SEO (Search Engine Optimization) pode parecer difícil de definir. Consiste em otimizar um projeto web e seu ambiente, para buscadores como Google, Bing e Yahoo. Em resumo, pretende aumentar o tráfego para o seu website e com um

agência de SEO , melhorando a qualidade e compreensão destes dentro do SERP (Search Engine Result Page).

Podemos então deduzir que SEO inclui otimizações no site, o “on-site”, e fora do site, o “off-site”. É responsabilidade dos SEOs implementar estratégias para aumentar sua visibilidade, mas apenas os mecanismos de busca decidem se ele é elegível ou não para ocupar uma posição claramente visível em sua lista de resultados. Essa ciência em particular oculta um certo número de métodos e estratégias, como o planejamento, o acompanhamento ou a referência usando os backlinks.

Se no início bastava ter um bom nome de domínio, links e conteúdo cheio de palavras-chave para estar bem posicionado, agora acabou. A chegada de filtros e a observação de más práticas no campo da otimização de sites contribuíram para tornar a referenciação mais difícil e demorada. Atualmente, um bom SEO deve organizar seu trabalho em torno de três eixos principais indissociáveis, a saber: técnica, conteúdo e popularidade.

A pirâmide de referência natural

É construindo essa pirâmide passo a passo que seu site terá boa visibilidade nos buscadores. É formado pelos três eixos principais mencionados acima. O todo pode, no entanto, ser subdividido em cinco grandes tarefas. Recomenda-se fazer as coisas na ordem correta para manter o método útil.

Obviamente, a base técnica é a base da pirâmide. Este é o próprio site, e todos os critérios que permitem aos usuários (e motores de busca) um bom entendimento. O site deve ter uma infraestrutura confiável e escalável. Assim será mais fácil de trabalhar.

Em seguida, siga as duas etapas superiores que são respectivamente: a busca por palavras-chave e a criação de conteúdo. É durante essas fases que você agregará valor ao seu site. Depois, tudo o que você precisa fazer é revestir tudo com conteúdo qualitativo e útil para os usuários. A este nível, o motor de busca terá apenas o papel de intermediário entre a oferta e a procura.

O eixo de popularidade (o topo da pirâmide) abrange duas outras etapas que são os links externos e o social. Ele contém todos os conceitos puros de SEO, como backlinks, bem como conceitos adjacentes, como redes sociais. Toda essa parte implementada só poderá ser realizada após estudos preliminares. O trabalho de acompanhamento é igualmente essencial para a sustentabilidade de seus esforços.

Por que comprar backlinks de qualidade, agora você sabe por que deve comprar backlinks.

Seja você que já tem uma loja virtual ou mesmo quer vender roupas em plataformas, provavelmente deve estar se perguntando: como tirar foto de calça para vender?

Antes de mais nada, saiba que fotos de produtos atraentes e de qualidade influenciam bastante as decisões dos consumidores, principalmente se você vender pela internet.

Na verdade, quando você fotografa roupas, é necessário seduzir seus clientes e fazê-los ter a ideia de estar vestindo aquela roupa.

Para isso, você pode, por exemplo, colocar o produto em um manequim, fazer um zoom na cor e no modelo, ou mostrar uma pessoa usando a peça da roupa.

Você também não precisa gastar uma grande fortuna para tirar fotos de calça e vender. E com o tempo, você pode ir se aperfeiçoando.

Portanto, se você quer aprender a tirar fotos de calça para vender, preparamos um guia em 6 etapas e aproveite todas as dicas passadas!

Como tirar foto de calça para vender: guia em 6 etapas

Para te ajudar e deixar tudo mais fácil, aprenda agora a como tirar foto de calça para vender:

1.Prepare as roupas (calças)

Antes de começar a sua sessão de fotos, é importante preparar as calças: passar, ver se tem algum defeito, pelos…

Infelizmente, muitos fotógrafos usam o Photoshop para corrigir as imperfeições, mas não cometa esse mesmo erro.

Embora seja uma boa ferramenta, leva um certo tempo para aprender, e sem falar que o processo de edição da foto pode em alguns casos comprometer a qualidade da imagem.

É claro que você pode fazer alguns retoques finais e corrigir alguns defeitos.

Examine todos os detalhes da calça, como:

  • Está bem passada?

  • Tem etiquetas ou outros itens da marca que devem ser retirados?

  • Utilize um rolo adesivo para remover a poeira e pelos.

2.Organize seu “estúdio” de fotos

Com alguns itens e acessórios, você pode transformar qualquer espaço na sua casa em um estúdio de fotos.

Se o seu orçamento está apertado, você pode utilizar até mesmo a câmera do seu telefone, usar um papel branco como fundo da foto, e aproveitando a luz natural.

Fundo

Utilize sempre um fundo cinza ou branco para eliminar as distrações e garantir capturar as cores com mais exatidão.

Uma dica é colar um papel diretamente na parede ou no chão.

Máquina fotográfica

A máquina fotográfica também não precisa ser a de última geração, mas que ofereça o mínimo de padrões de abertura e exposição, ou se preferir, usar a câmera do seu smartphone.

Se possível, adquira um tripé, pois ajuda a reduzir fotos trêmulas, além de deixar você com as mãos livres para fazer outras coisas.

Iluminação

Se você tiver uma janela pela qual entre luz natural em abundância, é excelente!

Agora, se não tiver, invista em lâmpadas LED ou fluorescente, principalmente se você está começando, e depois, você pode investir em flashs.

No caso de você vender outros produtos, como cinta modeladora, o processo é exatamente o mesmo!

Apenas preste atenção na cor do fundo, pois dependendo da cor da cinta, pode não realçar.

3.Coloque em prática a configuração de iluminação

A terceira etapa de como tirar foto de calça para vender é colocar a peça no lugar certo.

No caso de luz natural do dia, coloque a calça perto da janela para que seja iluminada de forma homogênea.

A câmera deve estar posicionada diretamente na frente do item, mas não muito perto do fundo porque pode criar uma sombra.

4.Ajuste a calça no manequim

Os modelos dão vida às roupas e permitem aos consumidores se projetarem mais facilmente quanto à maneira de vestir.

O ideal é usar manequins de loja mesmo, mas se não for possível, você pode tirar fotos em um cabide ou mesmo utilizar as fotos compartilhadas pelos seus clientes.

5.Tirando a foto

Finalmente, o momento que você tanto esperava chegou!

Ajuste as configurações da sua máquina fotográfica ou da câmera do seu celular e preste apenas atenção se as imagens estão muito claras ou escuras.

Tire o máximo de fotos possível, e se você tiver vendendo legging peluciada, tire fotos de frente e de trás, dos lados direito e esquerdo, sem se esquecer dos detalhes do tecido.

Quanto mais você fotografar, melhor, pois assim você tem mais opção de escolher as melhores.

6.Processo de pós-produção

Após ter terminado de tirar as fotos, é a hora de otimizar as imagens de seus produtos para a Web, usando sites como o Canva por exemplo.

O objetivo do tratamento pós-produção é dar um aspecto profissional às suas fotos.

Hoje em dia, existem várias ferramentas que você pode usar, e assim ganhar tempo e gastar pouco.

É importante que todos os seus artigos tenham um tamanho idêntico e bem centrados na imagem.

Além disso, você pode fazer pequenos retoques, e lembre-se que as imagens devem ser adaptadas não apenas a computadores, mas a todos os dispositivos móveis.

Agora chegou a hora de divulgar!

Você pode começar usando as redes sociais, como o Instagram e Facebook, e fazer marketing direcionado para o perfil de clientes que pretende alcançar.

A ideia aqui é tornar a experiência do seu futuro cliente a melhor possível!

 

Você vai gostar também: Quais São Os Modelos De Bolsas Femininas Para Arrasar Em 2022?

Conclusão

Agora que você aprendeu a como tirar foto de calça para vender, você pode usar essas mesmas dicas para vender qualquer outro produto.

Embora esse processo possa ser um desafio no início, com o tempo, você vai melhorando suas habilidades, e por consequência, irá vender mais e permitirá aos seus clientes aproveitar melhor seus produtos!

O que é motivação para você? Como isso influencia a sua vida? E a vida de seus funcionários? Você já parou para pensar que a motivação no trabalho é um elemento que impacta toda a vida de uma pessoa? E o que isso pode refletir na produtividade dentro das empresas?

Se para o seu trabalho a motivação começa e termina quando você chega ao relógio, é melhor repensar. Se para você um funcionário motivado é um mero profissional que faz bem o seu trabalho, é melhor ficar atento.

Neste artigo vou explicar como a motivação no trabalho pode levar as empresas a obter mais lucros. E como a falta de motivação no trabalho pode ser prejudicial.

Como você pode trabalhar para alcançar uma gestão baseada na motivação e, consequentemente, mais produtividade na sua empresa? Continue lendo para entender melhor.

Poderá se interessar também: Coworking Ribeirao Preto

Falaremos de Motivação

A motivação vem do latim “movere” que significa mover. Segundo o Dicionário Aurélio, é o ato ou efeito de motivar, despertar interesse por algo ou alguém. Você pode não saber, mas a motivação é um elemento que acompanha toda a história.

Desde a Grécia Antiga, passando por Platão, desejos e vontades mediaram a vida dos filósofos em sua busca pelo conhecimento. Mesmo Charles Darwin, na Teoria da Evolução das Espécies, afirmou que o desejo de sobrevivência era o principal elemento motivador dos seres.

Freud, por sua vez, afirmou que a motivação trouxe bons resultados, pois permitiu ao indivíduo buscar a conquista de algo, buscando para isso, um bom desempenho em suas atividades. Mas foi somente após a Revolução Industrial que a motivação passou a ser analisada como elemento estratégico no contexto das empresas.

Nessa época, começou-se a levar em conta que a motivação de um funcionário era capaz de levá-lo a ter um determinado comportamento no trabalho. O trabalho deixou de ser um ambiente apenas para ganhar dinheiro e passou a ser um espaço onde as pessoas buscavam a realização.

Nesse cenário, tanto trabalhadores quanto empresas passaram a lutar por destaque e representatividade. O ambiente de trabalho tornou-se um local altamente competitivo.

As empresas começaram a perceber o quanto a motivação realmente movia os trabalhadores a alcançar novos níveis de desempenho. E ainda mais… Isso pode fazer você se sentir parte integrante de todo um processo organizacional.

A motivação no trabalho não é nova

Como você pode ver, a motivação no trabalho não é nenhuma novidade. É um elemento que vem sendo estudado há décadas e deve ser levado a sério pelos gestores que desejam alcançar bons resultados em seus negócios. O conceito de motivação foi inclusive abordado por um dos mais respeitados estudiosos da área de Administração.

Abraham Maslow, em sua Teoria das Necessidades Humanas, mostrou que, com a necessidade de cada indivíduo satisfeito, outra surge para servir como centro organizador de seu comportamento.

Para Maslow, o ser humano busca constantemente satisfazer suas necessidades e alcançar o crescimento e o desenvolvimento profissional.

Portanto, as organizações devem levar em conta fatores psicológicos, fisiológicos e sociais para motivar os trabalhadores. E não só pelo dinheiro recebido no final do mês, que, naquela época, era a única forma de motivação dos funcionários.

Por isso é tão importante que as empresas passem a considerar não apenas os aspectos econômicos. E sim, como gerenciar pessoas para que fiquem mais motivadas e, consequentemente, mais produtivas.

Em 2010, a consultoria organizacional especializada em gestão de talentos e carreiras, Right Management, realizou um estudo contrastante mostrando que a produtividade está diretamente ligada à motivação no trabalho. A pesquisa entrevistou 28 mil profissionais, de 15 países, de 10 diferentes segmentos de atuação.

Destes, apenas 34% afirmaram estar motivados para o trabalho, gerando descontentamento e, consequentemente, perda de produtividade. O que levou à conclusão de que empresas que não motivam seus funcionários podem perder muito em rentabilidade.

O estudo também revelou que as empresas que motivam seus funcionários são quase 2,5 vezes mais produtivas do que aquelas que não atuam nessa questão. E o pior… Eles têm 4 vezes mais chances de perder seus melhores profissionais.

Ou seja, além de reter os melhores talentos, as empresas que geram motivação obtêm bom desempenho de seus colaboradores e têm produção e produtividade. Não é por acaso que a motivação para o trabalho tem sido vista como um dos principais pilares das organizações no mercado atual.

Empresas que investem na motivação do trabalho alcançam mais produtividade

Algumas empresas ainda não sabem. Mas o número de funcionários é extremamente relevante para qualquer negócio. Claro que ninguém é insubstituível.

No contexto das organizações, o colaborador é uma das ferramentas fundamentais para a produtividade. Assim, colaboradores motivados refletem os bons resultados das empresas. Estímulos motivacionais adequados interferem significativamente na forma como o funcionário desenvolve seu trabalho.

Por isso, as empresas que pretendem crescer no mercado devem ver o colaborador como um parceiro. O gerente inteligente precisa encontrar maneiras estratégicas de motivar seus funcionários.

E isso requer estudar sua empresa e seus colaboradores, buscando conhecer as formas adequadas de gerenciar esse público.

Como promover a motivação no trabalho

Não há dúvida de que conhecer bem seus funcionários pode ajudar bastante a promover a motivação no trabalho. Mas isso não é tudo. Um gestor consciente da importância da motivação no trabalho deve estar aberto a enxergar seus subordinados em todas as suas particularidades.

Deve proporcionar um ambiente de trabalho agradável, garantindo que as funções sejam desempenhadas com alegria e empenho. É preciso saber valorizar as ideias dos colaboradores, fazendo com que se sintam parte integrante do processo.

Além disso, é importante que as oportunidades de aprendizagem sejam oferecidas a todos. Isso contribui para a melhoria da qualidade do trabalho e, principalmente, para a melhoria das carreiras dos profissionais.

Adquirir conhecimento faz, de fato, parte da vida dos profissionais que aspiram ao crescimento profissional. Seja um gerente ou subordinado. É um elemento fundamental para o desenvolvimento profissional e pessoal de qualquer pessoa.

Isso faz sentido para você? Então não perca seu tempo!

Empresas de sucesso em todo o país estão usando essa ferramenta essencial para auxiliar na gestão de negócios, liderança e produtividade.

Visite: trendszone.com.br