Cursar design de interiores é uma excelente opção para iniciar sua carreira de designer.

Em resumo, essa área do conhecimento se parece bastante com arquitetura e urbanismo, porém, há grandes diferenças entre elas. A primeira envolve um conhecimento multidisciplinar, enquanto a segunda possui disciplinas próprias.

Para trabalhar como designer — de qualquer natureza, diga-se de passagem —, é importante possuir uma dose elevada de criatividade. Da mesma forma, entender o que os clientes querem também é uma habilidade importante.

Outro ponto que deve ser levado em conta é o estudo contínuo. Assim como ocorre com a moda de vestuário, existem estilos de decoração, os quais apresentam periodicidade.

Ser um designer é muito mais do que apenas saber encaixar uma mesa de canto na decoração.

Quer saber se vale a pena cursar design de interiores? Veja se essa carreira é para você!

Design de interiores: com o que trabalha?

Quando pensamos em design de interiores, a primeira coisa que vem à mente é a estética da decoração. Todavia, embora isso também seja importante, existe outro elemento fundamental: a funcionalidade.

O trabalho do profissional, em suma, é harmonizar a estética com a funcionalidade dos elementos que compõem o local.

Além disso, os designers não trabalham apenas com residências, mas sim com qualquer tipo de projeto, seja ele comercial, corporativo ou cenográfico.

Se você estiver interessado nessa área, saiba que existem cursos de bacharelado, tecnólogo, técnico e até pós-graduação.

O que se aprende em uma faculdade de design de interiores?

A faculdade de design de interiores é o paraíso para quem gosta da área de design como um todo. Ela contém disciplinas relacionadas à história do design, assim como da arte e do mobiliário.

Além disso, o aluno aprende matérias interessantes, tais como produções artísticas e industriais, paisagismos e comunicação visual.

Há matérias mais técnicas, como teoria das cores, composição espacial, ergonomia, luminotecnia, perspectiva em desenho e desenho técnico.

Fora isso, o aluno também recebe instrução quanto a alguns aspectos gerenciais e profissionais, como gestão de projetos interiores, ética profissional, produção e mercado, projetos de interiores e assim por diante.

Ao fim da graduação, o profissional estará apto a trabalhar em qualquer tipo de projeto de decoração.

Qual o perfil ideal para esse profissional?

Todos aqueles que almejam se tornar ótimos profissionais de design devem cultivar as seguintes habilidades, caso ainda não as tenha:

  • criatividade;
  • atenção às necessidades dos clientes;
  • percepção espacial;
  • e gostar de estudar.

Vamos explicar o motivo delas serem as principais skills dos designers de interiores.

Ter bastante criatividade

A criatividade é o elemento-chave que torna sua carreira de designer bem-sucedida.

Em resumo, ela está atrelada à sua capacidade de fazer algo comum, só que com sua personalidade. Dessa forma, seus projetos terão sua “marca”, e vão te ajudar a se destacar dos demais profissionais.

Uma ótima maneira de fazer isso, por exemplo, é realizar uma releitura dos estilos dominantes de decoração. Portanto, todos os elementos do estilo estarão lá, mas com sua forma de experienciá-lo.

Porém, é importante lembrar que essa liberdade artística nem sempre pode ser usada. Em alguns casos, o cliente quer apenas o básico, e um resultado inovador pode não satisfazer as expectativas dele.

Saber ouvir o cliente

No fim das contas, o trabalho do designer de interiores é entregar ao cliente exatamente aquilo que ele pediu. Assim, saber ouvir o cliente é uma habilidade fundamental para esse profissional.

Todavia, esse “ouvir” não está fadado apenas ao que o cliente pede: há muitos elementos dentro do design que não são “capturados” pelas palavras.

Dessa forma, ouvir o cliente significa entender exatamente o que ele quer, mesmo quando omite partes dessa informação.

Uma dica valiosa é usar modelos de decoração visando entender o que está na mente do cliente.

Boa percepção espacial

A percepção espacial é fundamental pois ajuda na hora do planejamento enquanto no local do trabalho. Dessa forma, uma boa percepção espacial permite elaborar um projeto sem mesmo usar lápis e papel.

Gostar de estudar designs

Por fim, ser um designer significa gostar de estudar estilos de decoração, assim como técnicas de iluminação e outros detalhes importantes.

Além disso, acompanhar as tendências de design de interiores também faz parte dessa habilidade.

Como é o mercado de trabalho?

Em resumo, o mercado de trabalho, assim como a quantidade de ofertas de serviço andam de mãos dadas com o mercado imobiliário nacional. Portanto, se há muita movimentação no mercado imobiliário, a demanda por esse profissional aumenta.

Além disso, ser especialista em design de interiores pode te proporcionar algo muito raro para os outros cursos: ser seu próprio chefe.

Você pode iniciar sua carreira em alguma empresa de design e, quando sentir que adquiriu bastante experiência, atuar de forma autônoma ou abrir seu próprio negócio de design.

Em geral, ser seu próprio patrão acarreta retornos financeiros maiores, dado que há menos dedução na “folha de pagamentos”.

Gostou das informações presentes neste post? Compartilhe nas redes sociais!

Precisa de reparação de termoacumuladores só acessar o link.