O narguilé é um tipo de cachimbo de origem oriental utilizado para fumar tabaco perfumado, e outras substâncias, por meio de um fornilho aceso com carvão. Assim como os cigarros, essa técnica pode prejudicar os dentes e todo o organismo, mas de forma ainda mais intensa.

Uma das versões existentes acerca da origem do narguilé afirma que ele teria sido criado por um médico hindu, na tentativa de diminuir os impactos da fumaça do cigarro. 

Acreditava-se, assim, que a filtragem pela água eliminava as impurezas e tornava esse método mais seguro.

Contudo, graças às tecnologias atuais sabemos que isso não é verdade. Na realidade, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a água aumenta a produção de fumaça e faz com que o uso do narguilé por 20 a 80 minutos equivalha ao consumo de 100 a 200 cigarros.

Além disso, o uso de aromatizantes mais adocicados e mais agradáveis faz com que cada sessão possa durar mais de uma hora. 

Isso aumenta a exposição de todo o organismo aos agentes tóxicos presentes tanto no tabaco quanto no carvão utilizado no processo.

Essas substâncias inaladas são altamente nocivas à saúde geral do paciente, podendo causar:

  • Dependência química e ataques de ansiedade;
  • Redução da capacidade respiratória e inflamação dos brônquios;
  • Úlceras estomacais e problemas gastrointestinais;
  • Impotência e infertilidade;
  • Aumento dos riscos de câncer no pulmão, bexiga, rins, entre outros.

Além disso, os efeitos gerados na saúde bucal podem ser extensos e perigosos.

Os impactos do narguilé para a saúde bucal

O tabaco possui mais de 4.7 mil substâncias prejudiciais à saúde, que envolvem desde arsênio até Polônio 210 e acetona. Todos esses elementos são responsáveis pelo aparecimento de problemas na integridade dos dentes e com todo o bem-estar da boca.

A fumaça tóxica altera a produção salivar e resseca a cavidade bucal, deixando-a mais suscetível às ações do tabaco. 

Esses elementos modificam o funcionamento das células e das bactérias bucais, causando anomalias no seu comportamento e propiciando o aparecimento de doenças.

Condições como a halitose, aumento de cáries e periodontites – bem como a ação mais agressiva dos organismos responsáveis por essas enfermidades – e lesões bucais causadas pela exposição ao monóxido de carbono são comumente encontradas nos pacientes que usam narguilé.

Deste modo, o acompanhamento com um dentista, por meio do auxílio de um convenio odontologico, é fundamental para manutenção da saúde bucal e o impedimento de agravamento de quadros mais sérios.

Não para por aí. O uso desse cachimbo de água normalmente é compartilhado com outras pessoas e isso faz com que aumente consideravelmente o risco do espalhamento de patologias como a herpes, hepatite C e tuberculose.

Além disso, muitos jovens têm investido em um plano odontologico para cuidar mais da aparência dos dentes e melhorar a autoestima. No entanto, o uso do narguilé pode atrapalhar os resultados de tratamentos, como o clareamento dental e a lente de contato.

Isso porque a presença da nicotina e do alcatrão faz com que essas substâncias se fixem no esmalte dentário e nos tecidos gengivais, causando o amarelamento e o aparecimento de manchas nos dentes, nos lábios e em toda a cavidade bucal.

O narguilé e o câncer de boca

Um dos efeitos mais perigosos do tabagismo é o aumento da probabilidade de desenvolvimento do câncer de boca. Estima-se que anualmente 11 mil brasileiros apresentem os sintomas da doença.

A partir de um plano dental coletivo empresarial, o dentista pode perceber o surgimento de feridas carcinogênicas nos lábios, língua, gengivas, no interior das bochechas, na laringe ou faringe, que muitas vezes são confundidas com aftas.

O paciente fumante tem oito vezes mais chances de desenvolver esses tumores bucais, que precisam ser tratados por meio da cirurgia, quimioterapia ou radioterapia. Quanto maior a quantidade de tabaco fumado, maiores são as chances de contrair esse tipo de câncer.

Por isso, é de extrema importância a procura pelo parecer médico sempre que o tabagista notar a presença de machucados bucais que demoram mais de duas semanas para se curar. 

Exames podem ser pedidos e o uso de um plano dental para MEI, pode ajudar a baratear os custos dos exames e o acesso às clínicas especializadas.

Em estágios mais avançados, a cura do câncer bucal pode ser de apenas 40%, sendo que os pacientes masculinos são os mais propensos a contrair a doença e a começar o tratamento tardio.

Anualmente, mais de seis mil pessoas falecem devido aos tumores bucais, e esse índice é ainda pior na região sudeste do país. 

Por isso, o uso dos benefícios concedidos pelo plano odonto empresarial é fundamental, principalmente para os pacientes que fumam cigarros ou narguilés, visto que favorecem a manifestação de doenças e inflamações.

Assim, é importante o acompanhamento odontológico constante, com consultas de rotina, limpezas profissionais e a realização de exames completos, promovendo a saúde e integridade geral da boca.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Conviva Melhor, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.