O esporão do calcâneo ou simplesmente esporão é uma má protuberância óssea que se forma na parte inferior do calcanhar e está frequentemente associada à fascite plantar.

 

Até 20% da população pode desenvolver essa condição, com maior prevalência em idosos, em indivíduos com sobrepeso ou obesidade ou em indivíduos com alterações anatomofuncionais do pé.

 

O principal sintoma do esporão de calcâneo é a dor que possui características específicas como:

 

  • Início agudo e súbito;
  • Dor de alta intensidade que às vezes se torna insuportável 

 

A dor intensa ocorre principalmente pela manhã ao acordar ou depois de passar muito tempo em pé. O diagnóstico é baseado no reconhecimento dos sintomas e na radiografia do pé. 

 

Em mais de 80% dos casos o problema desaparece após um tratamento conservador (repouso, anti-inflamatório, fisioterapia). Apenas em alguns casos a cirurgia ortopédica é necessária.

1. O que causa o esporão? 

O calcanhar suporta a maior parte do peso corporal no solo: o que causa a formação do osso calcanhar se deve a uma resposta adaptativa do esqueleto ao aumento das forças de carga, na tentativa de melhor distribuí-las para todo o pé.

 

O fenômeno de formação do “espinho” geralmente é acompanhado pela presença de inflamação, que pode ser devido a:

 

  • Uma reação ao estresse mecânico devido ao peso peso (por exemplo,no caso de pacientes obesos ou pacientes com alterações no pé); 
  • Fascite plantar crônica inadequadamente tratada. 

 

O crescimento de um esporão é muito lento e progressivo, começando muitos anos antes do início dos sintomas.

Fascite plantar e esporão

A fáscia plantar é um cordão fibroso que vai do calcanhar até a raiz dos dedos; é destinado a manter a anatomia do pé estável e distribuir uniformemente as forças que atuam no próprio pé. 

 

Quando a fáscia plantar fica inflamada, desenvolve -se a fascite plantar, uma condição dolorosa responsável pela maioria dos casos de dor no calcanhar quando a condição é negligenciada e a cicatrização é atrasada, o corpo tenta remediar o dano dos tecidos moles depositando cálcio para formar um crescimento ósseo e o resultado final é o aparecimento de uma nova formação óssea.

 

A fáscia plantar mostrou ser significativamente mais espessa em pessoas com esporão de calcâneo.

Outros fatores de risco

Outros fatores de risco que aumentam a chance de desenvolver o esporão são:

 

  • Idade: o risco de desenvolver um esporão aumenta com a idade,provavelmente devido aos danos acumulados ao longo do tempo e a perda normal da “elasticidade” da fáscia plantar. 
  • Sexo feminino: o esporão afeta mais as mulheres, provavelmente devido ao uso de botas femininas e calçados desconfotáveis para o pé. Principalmente em sapatos de salto alto.
  • Sobrepeso e obesidade: o excesso de peso corporal aumenta as tensões sofridas pelo calcanhar ao longo dos anos. 
  • Malformações anatômicas do pé: como no caso de pé plano, pé torto ou pé cavo. 
  • Problemas de postura e de marcha: ter uma postura errada ou quando for caminhar tem como consequência uma alteração na distribuição de carga no calcanhar. 
  • Passar muito tempo em pé ou andar em superfícies irregulares também aumenta o risco de esporão no calcanhar. 
  • Infelizmente, alguns esportes como corrida, basquete, futebol que exigem mudanças bruscas de direção e saltos, também são um fator de risco, principalmente em indivíduos que possuem predisposição para o problema. 

 

2. Os sintomas 

Em mais de 30% dos casos, o esporão é completamente assintomático, ou seja, não está associado a nenhum sintoma ou distúrbio. Só depois de um tempo é que ele realmente se mostra. 

 

  • Quando presentes, os sintomas do espinho são:
  • Dor no calcanhar: é uma dor aguda e pungente com ardência que tende a se tornar insuportável com o tempo;
  • Geralmente ocorre de manhã quando acorda e tende a diminuir ao longo do dia. A dor é obviamente grande em caso de muito tempo em pé, longas caminhadas (principalmente se for em terrenos irregulares, estradas de terra, pedra, buracos) e algumas atividades físicas. 

 

É importante ser capaz de distinguir a dor típica do esporão calcâneo e da fascite plantar. 

 

  • Limitação funcional nos movimentos: é um distúrbio de surge como resposta do indivíduo à dor. A pessoa evita mover o tornozelo para não sentir dor;
  • Inchaço no calcanhar: sintoma nem sempre presente, ligado à presença de inflamação na área. 

3. Tratamento de esporão 

Na maioria dos casos, o distúrbio do esporão é resolvido com terapia conservadora, enquanto a cirurgia é necessária apenas nos casos mais graves. Os remédios mais eficazes para esporão de calcanhar são:

 

  • Descanso: especialmente na fase aguda com inflamação, é muito importante não sobrecarregar o pé, evitando longas caminhadas e principalmente atividades físicas esportivas. A retomada das atividades esportivas deve acontecer de forma gradual. 
  • Medicamentos; devem ser tomados medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos, que reduzem inflamação e a dor. 
  • Calçado especial: Usar palmilhas ortopédicas que ajudem o pé a aliviar melhor as tensões, auxiliando na cicatrização do calcanhar. 
  • Fisioterapia: a massagem terapêutica e as sessões de reabilitação motora ajudam a reduzir os sintomas e a diminuir o risco de recaídas irritantes. 
  • Crioterapia: colocar um saco de água fria ou gelo na área inflamada reduzir a dor e a inflamação. 

 

Se os tratamentos listados acima falharem, a cirurgia será necessária: a operação consiste na remoção do esporão ósseo formado no calcanhar.