Os cigarros eletrônicos têm se popularizado no Brasil. Existem vários tipos para que o usuário possa escolher seu favorito entre pods recarregáveis ou descartáveis, vapes tradicionais, entre outros. 

Basicamente, os vapes funcionam a partir de uma bateria e um atomizador que, juntos, produzem calor e fazem com que o e-juice – líquido utilizado no dispositivo – se torne o vapor que será inalado. 

Existem e-líquidos variados no mercado e o vaper pode optar pelo que mais gosta, entre sabores mentolados, frutados, atabacados, adocicados, com alta, média, baixa concentração e até mesmo sem nicotina. 

O mais comum é que os pods sejam utilizados por quem está iniciando no mundo do vaping ou pretende trocar o hábito de fumar por uma alternativa mais saudável. 

Já os vapes, também conhecidos como mods, geralmente são escolhidos para uso recreativo, por serem mais intensos e produzirem mais fumaça, tal qual os narguiles.

Além disso, eles podem ser customizados pelo usuário, que pode variar sua capacidade para líquidos, potência, quantidade e temperatura da fumaça. Essa customização, entretanto, exige um pouco mais de experiência.

Entre as vantagens dos pods e dos vapes, está o fato de que ambos não têm o forte odor do cigarro, o que torna seu uso mais confortável tanto para o usuário, quanto para quem está ao redor.

Por ser um produto relativamente novo no Brasil, ainda existem algumas dúvidas quanto a sua utilização, principalmente quanto aos efeitos colaterais que podem surgir. 

Abaixo, vamos abordar alguns mitos e verdades sobre o uso dos vapes para você ter mais tranquilidade em sua escolha. Acompanhe!

Usar cigarros eletrônicos e tradicionais é a mesma coisa?

Mito! O uso de vapes e pods não tem nada a ver com o hábito de fumar cigarros tradicionais. 

A principal diferença é que os cigarros eletrônicos não contém em sua composição os elementos cancerígenos de um cigarro tradicional, como alcatrão, monóxido de carbono, entre outros.

Além do mais, com a queima do cigarro tradicional, os componentes tóxicos da tinta e do papel também são desprendidos e levados diretamente ao trato respiratório, o que pode causar diversos problemas de saúde. 

Por todos esses malefícios, o hábito de fumar cigarros tradicionais é responsável por mais de 7 milhões de mortes a cada ano, o que gera uma grande preocupação nas autoridades de saúde em todo o mundo.

No caso dos cigarros eletrônicos, a única coisa inalada é o vapor, o que já reduz consideravelmente os danos que podem ser causados. 

E ainda que o usuário opte pelo e-juice com nicotina, os vapores desse elemento são muito menos tóxicos e é possível optar por diferentes níveis de concentração, sendo possível até mesmo evitar o contato com esse tipo de composição. 

Além de todas essas vantagens, o cigarro eletrônico não gera fumantes passivos – aquelas pessoas que não fumam, mas são impactadas pelos malefícios da fumaça – o que torna seu uso muito mais seguro também para quem está ao redor do usuário.

Tem efeitos colaterais?

Não existem estudos que comprovem que o uso de cigarros eletrônicos tem a ver com o surgimento de efeitos colaterais, principalmente nas versões sem nicotina, que nem mesmo têm potencial viciante.

No entanto, para que o uso seja de fato seguro, o usuário deve ter cuidado com a qualidade do dispositivo e do líquido que será utilizado. 

Ao optar por versões mais baratas, existe o risco de adquirir algo de baixa qualidade e que pode emitir compostos químicos que podem fazer mal. Além disso, dispositivos duvidosos podem ter vapor desregulado e muito quente, o que também traz prejuízos. 

Como evitar problemas?

Como tudo na vida, o uso dos cigarros eletrônicos – sejam eles pods, vapes, entre outros – exige algumas precauções para que seu uso seja seguro. 

Em primeiro lugar, como já citamos, tomar cuidado com a qualidade do dispositivo e do juice utilizado é imprescindível. Opte sempre por adquirir e consumir aqueles de marcas conhecidas e confiáveis. 

Para ter certeza de que o vape atende às recomendações de especialistas e é original, sempre adquira o seu em lojas especializadas e que tenham profissionais preparados para orientar você a fazer uma boa compra.

Além disso, preste sempre bastante atenção à limpeza do vape e ao uso da bateria, que não deve ser molhada e nem recarregada com carregadores que não sejam próprios, que podem causar sobrecargas e explosões. 

Também  esteja sempre atento à sua saúde, realizando exames periódicos para garantir que está tudo bem.

Use com moderação e aproveite seu momento de fazer vapor sem preocupações, de forma muito menos prejudicial do que com um cigarro tradicional!